Responsabilidade Social

A Escola Superior de Artes Célia Helena (ESCH) desde o início de sua criação foi norteada pelo conceito de responsabilidade social e tem desenvolvido ações relacionadas ao compromisso de compartilhamento de saberes acadêmicos com a sociedade. Destacamos:

Parceria com a FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO (UNIFESP), no desenvolvimento de um programa de formação médica com base na promoção de habilidades e competências relacionais. Consiste na realização de simulações cênicas e dramáticas próprias do universo médico hospitalar, protagonizadas pelos alunos da graduação da ESCH para posterior reflexão e avaliação dos professores e estudantes do curso de medicina da UNIFESP.

PREPARAÇÃO DE ARTISTAS ORIENTADORES: oferta continuada de cursos em arte e educação, voltados para a preparação e aperfeiçoamento de artistas orientadores para desenvolvimento da prática artística em cursos extracurriculares de escolas privadas e instituições de terceiro setor.

COMPROMISSO DOS APRENDIZADOS COMPARTILHADOS ENTRE ENSINO SUPERIOR E EDUCAÇÃO BÁSICA:
• Realização do projeto Artes Aplicadas à Educação direcionado aos professores de Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIS)

• Realização do projeto Até debaixo d´água, desenvolvido como parte Programa de Apoio à Produção de Material Didático para a Educação Básica (Projeto Água, edital ANA-CAPES, DEB Nº 18/2015) e teve como objetivo, através de práticas teatrais, subsídios para a sensibilização artística e para conscientização do uso consciente da água. Como resultado principal, peças teatrais originais, criadas para o público infanto-juvenil, foram montadas e apresentadas em escolas públicas. O e-book com as peças criadas está disponível no repositório https://capacitacao.ana.gov.br/conhecerh/handle/ana/189

BIBLIOTECA RAUL CORTEZ, referência para o estudo do teatro brasileiro, com os acervos pessoais dos atores Raul Cortez, Célia Helena, além do vasto conjunto de programas de espetáculos desde a década de 1950 e registros de encontros com artistas nacionais que documentam a história do Teatro Brasileiro com o objetivo preservar a memória e bens culturais, e que atualmente são disponibilizados pelo CÉLIA HELENA DIGITAL. e disponibilizá-los à sociedade.

SEMINÁRIOS: realização de seminários de referência para a discussão de diversos temas:

• O fazer artístico (Simpósio de Dramaturgia Brasileira realizado no México em 2009, em parceria com a Delegación Coyoacán Colegio de Literatura Dramatica e a Universidad Nacional Autónoma de Mexico).

• A política pública de fomento à cultura (Seminário São Paulo – Cena Contemporânea/2015). Seis encontros temáticos: o teatro a pensar a metrópole e a metrópole a pensar o teatro. Com copatrocínio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo,

• A promoção da igualdade de gênero e empoderamento das mulheres (em parceria com o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM – SP. A edição brasileira do evento HEFORSHE (2016), como parte de uma campanha internacional da ONU Mulheres, apresentando trabalhos de docentes e discentes de graduação e pós-graduação.

• A divulgação e compartilhamento de pesquisas acadêmicas e artísticas dos alunos de graduação e das pós-graduações lato e stricto sensu (Seminário Anual de Pesquisa e Extensão).

PROMOÇÃO DA CIDADANIA, VOZ E PERTENCIMENTO DE JOVENS:
• Realização do Projeto Conexões voltado para jovens que integram grupos de teatro de escola públicas, particulares e coletivos independentes da cidade e da grande São Paulo. Desde 2008, em parceria múltipla com o British Council, Cultura Inglesa, Colégio São Luís e National Theatre de Londres, o Projeto Conexões impacta um público que dificilmente teria acesso ao teatro, seja na produção, na atuação ou na frequência a casas de espetáculos. Mais de 2.500 jovens já participaram do projeto, atingindo um público de mais 13.000 pessoas, nos últimos 10 anos.

PUBLICAÇÃO DO LIVRO CONEXÕES: NOVA DRAMATURGIA PARA JOVENS, com textos e peças especialmente escritas por autores britânicos e brasileiros dirigidas ao público jovem. O livro é distribuído gratuitamente para escolas, bibliotecas e instituições nacionais e internacionais (47 textos publicados). Com mais de 11.000 downloads, os textos podem ser acessados e compartilhados por meio do site www.conexoes.org.br

PUBLICAÇÃO DA REVISTA OLHARES: tem como premissa de criação difundir e compartilhar o conhecimento, preservando o olhar para a trajetória de artistas reconhecidos na cena teatral brasileira – atores, atrizes, cenógrafos, iluminadores –, agregado às pesquisas contemporâneas que indicam inovações acadêmicas.

APRESENTAÇÃO DE PEÇAS EM FESTIVAIS E EM TEMPORADAS EM TEATRO PROFISSIONAL:  com o objetivo de aprofundar, fora do ambiente acadêmico, o trabalho de criação e montagem de um espetáculo teatral,sob a direção de um encenador com reconhecida carreira profissional, destacamos:
• A montagem de Anoesis, de Junction 25, com o grupo permanente de teatro do Célia Helena para o Projeto Conexões/2018, apresentou-se no FESTIVAL DE TEATRO DE CURITIBA/2019.

• A montagem de trechos de Édipo rei, de Sófocles, dirigido pela Profa. Dra. Liana Ferraz, representou o Brasil no III FESTIVAL DE TEATRO BRICS/2019, em Moscou.

Odisseia, adaptação de Samir Yazbek, com direção de Marco Antonio Rodrigues e patrocínio dos Correios foi a primeira montagem do núcleo de pesquisa ESTÚDIO DA CENA.

SENTA (ESTÚDIO DA CENA), criação coletiva, direção de Nelson Baskerville, Apresentou-se no GALPÃO DO FOLIAS.

Andorra (ESTÚDIO DA CENA), de Max Frisch, com direção Do ator, dramaturgo, diretor e pesquisador Renato Borghi, apresentou-se no TEATRO CACILDA BECKER.

Morte e vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, com direção do professor Gabriel Miziar (Premiada no edital Teatro Contemporâneo da Secretaria da Cultura/2015), ficou em cartaz nos teatros municipais da cidade São Paulo.

O ritual, de Samir Yazbek, montagem do grupo de teatro permanente do Célia Helena integrante do Projeto Conexões, realizou temporada no SESC/CONSOLAÇÃO.

GRUPO PERMANENTE DE TEATRO/PROJETO CONEXÕES: desde 2008, a ESCH mantém um grupo de teatro de jovens entre 16 e 19 anos que participam da montagem de um dos textos escritos especialmente por autores brasileiros e/ou ingleses para o projeto Conexões e apresentação na Mostra de Teatro jovem, no teatro da Cultura Inglesa-Pinheiros, a saber:

2018 – Anoesis, de Junction 25, com direção de Liana Ferraz.
2017 – Admirável mundo novo, de Luís Alberto de Abreu, com direção de Nani de Oliveira
2016 – Como eles são? de Lucinda Coxon, com direção de Alice Nogueira
2015 – Filosofia da revolução, de Marcelo Romagnoli, com direção de Alice Nogueira
2014 – Anoesis, de Junction 25, com direção de Lua Gabanini
2013 – Submarino, de Léo Moreira, com direção de Pedro Granato
2012 – O ritual, de Samir Yazbek, com direção de Samir Yazbek
2011 – Contos que contam sobre posopássaros, de Claudia Schapira, com direção de Rafael Masini
2010 – Nas alturas, de Lisa Mcgee, com direção de Rafael Masini
2009 – Bolo de noiva, de Mário Viana, com direção de Rafael Masini
2008 – Blecaute, de Davey Anderson, com direção de Rafael Masini

ACORDOS DE COOPERAÇÃO ACADÊMICA e artística com instituições internacionais da América Latina e Europa para recepção de alunos e professores para continuidade dos estudos.

SUBVENÇÃO FINANCEIRA para manutenção de projetos de responsabilidade social direcionados ao desenvolvimento humano e identidade de jovens de grupos de teatro de escolas públicas.

APRESENTAÇÃO DE ALUNOS PARA PRODUTORES DE CASTING: a MOSTRA DE ATORES NA TELA é reconhecida como um encontro anual entre alunos  e ex-alunos com respeitados profissionais do mercado de trabalho em que pequenas cenas são apresentadas pelos participantes para avaliação de produtores de elenco, com resultados excelentes: oportunidades profissionais, relacionamento e novos contatos. Mais de 300 participantes desde 2015.

EXAMES ABERTOS: apresentação em teatros profissionais, das produções resultantes de processos criativos de alunos de graduação com entrada gratuita.

O ATOR CRIADOR. Evento realizado 2 vezes ao ano para estimular a criação autônoma de alunos ex-alunos, nas mais diversas linguagens: teatro, música, dança, artes plásticas, performance em evento aberto à sociedade. ENCONTRO DE PROPOSTAS ARTÍSTICAS – EPA.