Atividades on-line

COM CRIATIVIDADE E SUPORTE ON-LINE, O CÉLIA HELENA MANTÉM ATIVAS SUAS ATIVIDADES DE ENSINO

“No momento em que se iniciou a disseminação de informações sobre a propagação da Covid-19, antes mesmo de decretada a quarentena, as aulas do Célia Helena foram rapidamente reinventadas para o formato on-line. Com os ganhos e perdas que a necessidade exigiu. Foi um trabalho de uma equipe extremamente unida, engajada e de um corpo de alunos altamente envolvidos com a produção artística do futuro, portanto, com suas trajetórias de formação. Tenho profunda admiração pela equipe do Célia Helena como um todo. É um trabalho de muitas décadas de respeito, transparência e envolvimento com as artes da cena. Um legado que se transforma a cada minuto, respondendo ao panorama cultural na exatidão do seu momento, no aqui e agora (para utilizar o vocabulário cênico). Um patrimônio de conhecimento que esses intelectuais da cena transmitem para seus alunos. O melhor conhecimento que pode haver no campo das artes, com a solidez para enfrentar grandes desafios”. (Lígia Cortez, diretora artística e pedagógica da Escola Superior de Artes Célia Helena).

Desde o início, o Célia Helena readequou os formatos das aulas e atividades que melhor respondessem, virtualmente, às características e objetivos de cada curso. Com criatividade, continuou os encontros com crianças e jovens do curso da Casa do Teatro, mantendo as atividades em que jogos, improvisação, criação de cenas, compartilhamento de ideias, bem como reflexões sobre o momento, atuassem como respiro frente à sobrecarga das demandas escolares.

Os cursos de Graduação e Profissionalizante permanecem ativos e cumprindo, com pequenas e pontuais adaptações, sua programação de ensino. Como ferramenta que soluciona a impossibilidade do encontro presencial momentâneo, a videoconferência permitiu a continuidade das atividades, mas também exigiu dos professores a descoberta de novas soluções metodológicas e criatividade para estimular e transmitir o conhecimento adequado aos estudantes, estimulando-os a perseverar e, juntos, a se reinventarem artisticamente.  As atividades seguem dinâmicas, com aulas práticas de corpo, interpretação, música, voz.

Para manter conteúdos teóricos intercalados com experimentações práticas nos cursos de pós-graduação, aulas especiais com importantes nomes do Teatro e do setor audiovisual, nacional e internacional, seguem sendo agendadas: Renato Borghi, ator, autor e um dos principais integrantes do Teatro Oficina, participou de três encontros nos quais compartilhou sua trajetória artística alinhada à história e às transformações cênicas do Teatro Brasileiro.

O projeto Dramaturgia: Janelas Abertas: sob a condução dos dramaturgos Marcos Barbosa e Samir Yazbek, reuniu oito artistas para uma série de conversas sobre dramaturgia com autores, atrizes, atores e diretores renomados. Com um público de aproximadamente 150 pessoas, as entrevistas “ comprovaram que a dramaturgia é um saber incontornável para quem se dedica ao ofício teatral, independentemente de sua função. Em cada conversa, tanto pela trajetória do entrevistado quanto pela riqueza do assunto, percebeu-se o quanto os diálogos são inesgotáveis, confirmando o quanto estávamos precisando disso, sobretudo neste momento difícil da nossa história” (Samir Yazbek).

Em breve, o Célia Helena Centro de Artes e Educação vai colocar no ar uma segunda edição e abrir o diálogo sobre Direção e Atuação.

Assista ao minidoc sobre o espetáculo ErêndiraA incrível e triste história da Cândida Erêndira e sua avó desalmada, de Gabriel García Marquez e direção de Marco Antonio Rodrigues.

Está no ar o projeto Arte em rede: encontros no tempo presente, uma ação que promove encontros ao vivo e conversas on-line com artistas de diversas áreas.

Participaram das webinar, os atores Martha Nowill e Fabrício Boliveira (Interpretações Memoráveis – conversa organizada em parceira com o Cine-Encontro); os diretores Pedro Granato e Bruno Guida (Trabalhando com coletivos internacionais); os atores e dramaturgos Alamo Facó e Vinicius Calderoni (Da escrita ao palco); os atores Antonio Saboia e Carlos Francisco (Bacurau: uma reinvenção do Brasil?).

No formato lives participaram dos encontros o ator e diretor Gabriel Miziara; a atriz Luaa Gabanini; a professora de neurociência Andrea de Paiva; a artista e pesquisadora do corpo e movimento Gabriela Alcofra; a atriz e cantora Clara Verdier.

O projeto Fala Teatro, com curadoria do ator e diretor Laerte Mello, que termina no dia 3 de julho, une professores e alunos para leituras dramáticas on-line de cinco peças de autores britânicos do século XXI.

Um corpo só, novos horizontes entre quatro paredes é um projeto dos professores de expressão corporal do Célia Helena em busca de novas estratégias poéticas e novos encontros. A proposta era fazer um gesto de 4 segundos que expressasse o momento atual que estamos vivendo, com urgência, com amor e com certeza de que somos um coletivo de artistas!!!!

Para para manter as experimentações artísticas em tempos de estudos à distância e de home office, cinco cursos on-line foram lançados: Interpretando a Canção, com Tassia Cabanas; Canto para Atores, com Aurora Dias; Teatro Musical, com Aurora Dias e Beto Bellinati; Curso Meisner e câmera, com Tomás Rezende; Coaching (em português e inglês).

Gravação em arquivo

Todos os encontros virtuais destacados nesta matéria estão sendo gravados e serão disseminados em formatos audiovisuais e como podcast nas plataformas digitais do Célia Helena a serem divulgadas em breve.