Responsabilidade Social

Teatro-escola Célia Helena e a Casa do Teatro sempre estiveram atentos às questões relativas à cidadania e ao exercício dos direitos sociais. Os projetos artístico-sociais “Arte-escola: formação e informação”, “Domingo na Praça” e de “Teatro-educação”, voltados para os jovens de comunidades periféricas e escolas regulares, tiveram início na década de 1970, período que antecede o surgimento das organizações não governamentais. Ao longo dos anos, o Teatro-escola Célia Helena e a Casa do Teatro foram solidificando seu papel social, implantando os programas de arte junto a diversas instituições: Fundação Gol de Letra, Posto de Orientação Familiar da Favela Paraisópolis, Fundação Arte Despertar.

Com a criação da Escola Superior de Artes Célia Helena (ESCH), que desde o início foi norteada pelo conceito de responsabilidade social, surgiram novas frentes de intervenção social e desenvolvimento de projetos. De grande abrangência, destacam-se:

• Aprendizados compartilhados entre ensino superior e educação básica, com o projeto Artes Aplicadas à Educação, direcionado às professoras de Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIS) e o projeto Até Debaixo D´Água, com a produção de textos por jovens sobre o uso consciente da água;

• Promoção da cidadania, voz e pertencimento de jovens que integram grupos de teatro de escola públicas, particulares e coletivos independentes da cidade e da grande São Paulo. Desde 2008, em parceria múltipla com o British Council, com a Cultura Inglesa, com o Colégio São Luís e National Theatre de Londres, a ESCH desenvolve o Projeto Conexões, que impacta um público que dificilmente teria acesso ao teatro, seja na produção, na atuação ou na frequência a casas de espetáculos. Mais de 2.000 jovens já participaram do projeto, atingindo um público de mais 12.000 pessoas, nos últimos 10 (dez) anos;

• Publicação do livro Conexões: nova dramaturgia para jovens, com textos especialmente escritos por autores britânicos e brasileiros, com peças dirigidas ao público jovem e distribuído gratuitamente para escolas, bibliotecas e instituições nacionais e internacionais (47 textos publicados);

• Difusão da dramaturgia brasileira no México: Em 2011, a ESCH, em parceria com a Delegación Coyoacán Colegio de Literatura Dramatica e a Universidad Nacional Autónoma de Mexico, realizou um simpósio na cidade do México, em que textos brasileiros traduzidos foram lidos por atores mexicanos, dirigidos por brasileiros.

Hoje, a responsabilidade social está inserida na ESCH nas mais diversas instâncias: com desenvolvimento de projetos com forte impacto social nas comunidades do entorno e na cidade de São Paulo.